"Já despertou da anestesia". Operação de Jerónimo "decorreu com êxito"
13/01/2022 23:44 em Notícias

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, já foi operado e a cirurgia urgente à carótida interna esquerda foi "um sucesso", segundo fonte do partido. Foram "concretizados os objetivos cirúrgicos". 

Jerónimo foi operado esta manhã no Hospital Egas Moniz, em Lisboa, e já acordou após a anestesia geral. "Iniciou o processo de vigilância clínica pós-operatória, como previsto para cirurgias desta natureza", acrescenta-se numa nota do PCP.

Recorde-se que Jerónimo de Sousa estará ausente da campanha das eleições antecipadas até ao final da próxima semana para recuperação desta cirurgia urgente.

Até lá, será substituído por João Oliveira e João Ferreira, dois nomes do partido que abriram o debate sobre se serão futuros sucessores do secretário-geral comunista.  

"Era impossível aguentar até ao fim da campanha eleitoral"

O secretário-geral do PCP esclareceu, esta quarta-feira, que soube do problema após a realização de exames de rotina. "Verificou-se um problema em relação às carótidas, estas veias que alimentam o sangue do cérebro", disse, explicando que "precisam de uma limpeza".

"Tem um risco relativo, mas é sempre um risco qualquer operação cirúrgica", comentou ainda, na altura, Jerónimo de Sousa. "Era impossível aguentar até ao fim da campanha eleitoral", admitiu, acrescentando: "Aqui estou. Pronto para travar o combate. Naturalmente com esta dificuldade, mas penso que, com arte e sorte do cirurgião, que é possível que daqui a uma semana, ou um bocadinho mais para a frente, esteja outra vez na estrada". 

Ciente das implicações da cirurgia, Jerónimo disse ainda ter a "perspetiva de que o andamento será definido pela capacidade de recuperação"

Jerónimo de Sousa, de 74 anos, é o segundo secretário-geral do PCP a fazer uma operação cirúrgica, depois de Álvaro Cunhal ter sido operado a um aneurisma, ainda na antiga União Soviética, em 1989. É o deputado à Assembleia da República com mais anos 'de casa' e foi também eleito deputado à Assembleia Constituinte, em 1975, um ano depois da filiação no PCP.

COMENTÁRIOS